Além de Riken Yamamoto: 5 arquitetos japoneses vencedores do Pritzker
Indice

Riken Yamamoto, premiado com o Prémio Pritzker 2024, junta-se a um seleto grupo de arquitetos japoneses que redefiniram a arquitetura moderna. A sua abordagem holística, que integra a arquitetura com a natureza e a comunidade, reflete-se em obras como a Biblioteca Pública de Kanazawa e a Casa da Música em Stavanger.

A arquitetura japonesa deixou uma marca indelével no panorama global, fundindo tradição e modernidade de uma forma única e visionária. Precedendo Riken Yamamoto, outros 5 talentosos arquitetos transformaram o rosto da arquitetura contemporânea com o seu engenho inovador e abordagem holística. Vamos explorar abaixo cada um destes mestres, bem como os seus projetos mais destacados.

Tadao Ando


Tadao Ando, nascido em Osaka em 1941, é amplamente reconhecido pela sua capacidade de fundir luz, espaço e concreto de uma forma sublime. Ganhou o Prémio Pritzker em 1995 pela sua destacada contribuição para o campo da arquitetura. Dois dos seus projetos mais notáveis são:

1. Church of the Light (Ibaraki, Osaka): 

Esta obra-prima é um testemunho da habilidade de Ando em trabalhar com a luz e a forma. A igreja, construída em 1989, apresenta uma parede de concreto com uma cruz recortada no centro. A luz entra no espaço de forma minimalista, mas dramática, criando uma experiência espiritual única para os visitantes.

2. Museu de Arte Contemporânea de Naoshima (Naoshima): 

Ando projetou este museu em 1992, incorporando-o à paisagem natural da ilha de Naoshima. O seu design minimalista e a sua integração com a natureza circundante tornam a experiência da arte contemporânea ainda mais impactante.

Fumihiko Maki


Nascido em Tóquio em 1928, Fumihiko Maki é um mestre da arquitetura moderna e um dos principais expoentes do Movimento Metabolista japonês. Ganhou o Prémio Pritzker em 1993. Aqui estão duas das suas obras mais destacadas:

1. Ginásio Metropolitano de Tóquio (Tóquio): 

Construído em 1990, este complexo desportivo é um exemplo impressionante da estética de Maki. Com o seu telhado em forma de paraboloides hiperbólicos e o uso inovador de aço e vidro, o ginásio torna-se um marco arquitetónico na agitada cidade de Tóquio.

2. Hillside Terrace (Tóquio): 

Este complexo residencial, completado em várias fases desde a década de 1960 até a década de 1990, é um testemunho da abordagem de Maki na integração da arquitetura com o ambiente urbano. As terrazas escalonadas e os espaços verdes criam uma sensação de comunidade e conexão com a natureza no coração da metrópole.

Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa (SANAA)


Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa são conhecidos pela sua colaboração sob o nome de SANAA. Sejima nasceu em 1956 em Ibaraki, enquanto Nishizawa nasceu em 1966 em Kanagawa. Juntos, ganharam o Prémio Pritzker em 2010 pelo seu enfoque inovador e minimalista. Aqui estão dois dos seus projetos mais emblemáticos:

1. New Museum (Nova Iorque): 

Concluído em 2007, o New Museum rapidamente se tornou um marco no horizonte de Manhattan. O seu design contemporâneo, com caixas empilhadas de diferentes tamanhos e ângulos, desafia as convenções arquitetónicas e cria um espaço único para a arte contemporânea.

2. Centro de Aprendizagem Rolex (Lausana, Suíça): 

Este centro de aprendizagem, terminado em 2010, é uma ode à fluidez e à luz. A sua forma ondulante e o uso inovador de vidro e concreto criam um ambiente dinâmico e acolhedor para o estudo e a interação.

Shigeru Ban


Shigeru Ban, nascido em Tóquio em 1957, é conhecido pelo seu compromisso com o design sustentável e pela sua abordagem humanitária na arquitetura. Ganhou o Prémio Pritzker em 2014. Aqui estão dois projetos notáveis:

1. Japan Pavilion (Hannover, Alemanha): 

Este pavilhão temporário, construído em 2000, é um exemplo impressionante da abordagem inovadora de Ban para os materiais. Utilizando tubos de cartão reciclado, Ban criou uma estrutura surpreendentemente resistente e bela que cativou os visitantes com a sua simplicidade e elegância.

2. Centre Pompidou-Metz (Metz, França):

Esta extensão do famoso museu de arte moderna de Paris, completada em 2010, apresenta um telhado de madeira laminada em forma de chapéu chinês, projetado por Ban. O seu design único e o uso de materiais sustentáveis fazem desta estrutura tanto uma obra de arte como um feito arquitetónico.

Conclusão


Estes cinco arquitetos japoneses que também ganharam o Prémio Pritzker deixaram um legado duradouro no mundo da arquitetura, redefinindo os limites da criatividade e inovação. 

Desde a pureza do concreto de Tadao Ando até à fluidez do SANAA e o compromisso sustentável de Shigeru Ban, cada um destes mestres contribuiu para enriquecer o nosso ambiente construído e inspirar futuras gerações de arquitetos em todo o mundo. A sua influência perdurará muito para além dos seus projetos individuais, moldando a forma como concebemos e habitamos o espaço arquitetónico no século XXI.

Outros posts

A Alubuild® obtém a certificação DIT Plus
Arquitetura e Cinema: um diálogo visual
Além de Riken Yamamoto: 5 arquitetos japoneses vencedores do Pritzker
Fachada ventilada e ETICS: Principais diferenças e semelhanças entre sistemas