Arquitetura sustentável: Compreender as certificações LEED e BREEAM
Indice

No mundo da arquitetura sustentável, há duas certificações que se destacam pela sua importância e reconhecimento global: LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) e BREEAM (Building Research Establishment Environmental Assessment Method).

Ambas as certificações procuram promover a construção de edifícios mais sustentáveis e eficientes, mas cada uma tem a sua própria abordagem e metodologia. Este artigo apresenta uma visão geral destas duas certificações, as suas diferenças e semelhanças, e a forma como os arquitetos podem beneficiar da sua aplicação.

LEED: Uma abordagem holística


A LEED é uma certificação reconhecida internacionalmente que se centra na eficiência energética, na qualidade do ar interior, na seleção de materiais e na inovação da conceção.

Os edifícios LEED são avaliados em várias categorias, incluindo sustentabilidade do local, água, energia e eficiência do ar, materiais e recursos, qualidade ambiental interior, inovação na conceção e prioridade regional. A certificação LEED é atribuída em quatro níveis: Certificado, Prata, Ouro e Platina, dependendo do número de pontos que um projeto acumula.

BREEAM: Pioneira na avaliação ambiental


A BREEAM é a metodologia de avaliação ambiental de edifícios, mais antiga,  e mais utilizada. Tal como o LEED, a BREEAM avalia os edifícios em várias categorias, incluindo gestão, saúde e bem-estar, energia, transportes, água, materiais, resíduos, utilização do solo e ecologia, e poluição.

No entanto, a BREEAM também inclui categorias adicionais, como a adaptação às alterações climáticas e a durabilidade, refletindo a sua ênfase na sustentabilidade a longo prazo.

Comparação entre LEED e BREEAM


Embora a LEED e a BREEAM partilhem objetivos semelhantes, existem diferenças significativas, como veremos a seguir:

Abordagem da certificação:

A LEED tende a centrar-se mais na eficiência energética e na inovação da conceção, enquanto a BREEAM dá maior ênfase à gestão de projetos e à adaptação às alterações climáticas;

Sistema de pontuação:

A BREEAM utiliza um sistema de pontuação ponderado que pode dar mais peso a determinadas categorias, enquanto o LEED atribui pontos de forma mais uniforme;

Categorias de avaliação:

Ambas as certificações avaliam os edifícios numa série de categorias, mas a BREEAM inclui categorias adicionais, como a adaptação às alterações climáticas e a resiliência ao longo da vida, refletindo a sua ênfase na sustentabilidade a longo prazo;

Reconhecimento e utilização globais:

Embora ambas as certificações sejam reconhecidas internacionalmente, a LEED é mais popular nos Estados Unidos, enquanto a BREEAM é mais comum na Europa;

Processo de certificação:

O processo de certificação BREEAM é considerado mais rigoroso e detalhado, enquanto a LEED é conhecida pela sua flexibilidade e adaptabilidade a diferentes tipos de projetos;

Custo:

Em geral, a certificação BREEAM pode ser mais cara do que a certificação LEED, embora isso possa variar consoante a dimensão e a complexidade do projeto.

Exemplos de edifícios certificados LEED y BREEAM em Espanha e Portugal


Em Espanha, o edifício Merlin Properties – Ribera del Loira 60, em Madrid, é um exemplo de um edifício com certificação LEED. Este edifício foi reconhecido pela sua eficiência energética e conceção sustentável.

Outro exemplo é o projeto de regeneração urbana Allonbay Village, em Alicante. Esta intervenção urbanística foi a primeira do género, em Espanha,  a obter a certificação BREEAM Urbanismo.

Em Portugal existem muitos edifícios com certificação LEED e BREEAM. Estes edifícios, tal como os seus congéneres em Espanha, têm sido reconhecidos pelo seu compromisso com a eficiência energética e a sustentabilidade.

Um destes exemplos é o Centro de Negócios da Sonae Maia, localizado na Maia, o qual obteve a primeira certificação LEED com o nível de desempenho “Gold” em Portugal, em 2008.

Já  o Porto Office Park (POP) obteve a certificação BREEAM, tornando-se o primeiro edifício em Portugal a obter a classificação de “Excelente” nesta certificação.

Conclusão


Para os arquitetos, compreender as certificações LEED e BREEAM é essencial para a conceção e construção de edifícios sustentáveis. Embora cada certificação tenha a sua própria abordagem, ambas oferecem um quadro valioso para avaliar e melhorar a sustentabilidade dos edifícios.

Ao selecionar a certificação que melhor se adapta às suas necessidades, os arquitetos podem ajudar a promover a construção sustentável e contribuir para um futuro mais verde.

Outros posts

A Alubuild® obtém a certificação DIT Plus
Arquitetura e Cinema: um diálogo visual
Além de Riken Yamamoto: 5 arquitetos japoneses vencedores do Pritzker
Fachada ventilada e ETICS: Principais diferenças e semelhanças entre sistemas