Skip to main content

O coliving parece estar a aumentar e é por isso que temos de ter em conta aspectos dentro da construção ao adaptar os espaços.

Neste artigo falaremos em geral sobre o que é o coliving, as suas vantagens, os inconvenientes e as adaptações na construção.

 

O que é o coliving?


O coliving é uma nova tendência que está a provocar um alvoroço no mundo da habitação.

Essencialmente, o coliving é viver com outras pessoas no mesmo edifício ou complexo. Terá o seu próprio espaço privado mas ao mesmo tempo partilhará áreas comuns tais como cozinhas, casas de banho, etc.

Este modo de vida já existe há muito tempo, mas só recentemente se tornou popular graças aos avanços tecnológicos (como os smartphones e as redes sociais) e às necessidades apresentadas pelas novas formas de vida e de trabalho.

 

História do coliving

Coliving não é apenas uma tendência. É um modo de vida. A ideia de que as pessoas podem viver juntas numa comunidade e partilhar os seus recursos não é de há décadas, mas de há séculos. 

Embora só recentemente se tenha tornado moda, as suas raízes recuam muito mais do que se possa pensar. 

O primeiro exemplo de coliving moderno veio com o aumento das comunidades de co-habitação na Dinamarca durante os anos 70, pouco antes de se tornarem populares em Itália (1986), Alemanha (1989) e Estados Unidos (1990). 

Este tipo de habitação foi também muito popular no Japão durante a Segunda Guerra Mundial, porque as famílias já não podiam suportar sozinhas os custos de habitação devido às taxas de inflação que aumentavam mais rapidamente do que os salários.

 

O que é viver num coliving?


Como o nome deste tipo de alojamento sugere, é uma nova forma de viver em comunidade.

Quando se vive num coliving, vive-se num lar com pessoas que partilham os seus interesses e paixões, pessoas que têm estilos de vida e ideais semelhantes aos seus.

Coliving é uma alternativa à vivenda tradicional ou à vida em apartamentos que lhe permite ligar-se a outros que podem partilhar os seus objectivos e aspirações a um nível mais profundo do que ser apenas companheiros de quarto ou de edifício.

Vai encontrar-se a viver ao lado dos seus pares num ambiente inspirador que lhe dá o espaço para trabalhar nos seus objectivos ao mesmo tempo que ganha exposição a coisas novas e conhece pessoas de diferentes estilos de vida.

 

Vantagens e inconvenientes do coliving


Como quase tudo na vida, o coliving tem uma série de vantagens e desvantagens, que discutiremos a seguir.

Algumas das vantagens são: 

  • Tem mais interacção social e cria uma comunidade, que o pode fazer sentir-se mais realizado como pessoa.
  • Também poupa dinheiro no aluguer, uma vez que partilha as despesas com outras pessoas, o que pode torná-lo mais barato do que viver sozinho. 

 

No entanto, o coliving também tem alguns inconvenientes: 

  • Há menos privacidade e menos espaço por pessoa (que pode ser bom ou mau, dependendo da sua personalidade). 
  • Tem de se adaptar aos costumes da comunidade ou pelo menos aos costumes comuns.

 

Mas se gosta de ter companhia a toda a hora, então o coliving pode ser o mais indicado para si.

 

Como adaptar os edifícios a uma nova forma de viver em coliving?


A adaptação de um edifício às necessidades dos residentes de coliving requer planeamento para uma série de variáveis.

A conversão de edifícios existentes em edifícios de habitação tem os seus desafios, mas os novos edifícios também apresentam dificuldades.

Aqui estão algumas muito importantes a considerar:

  • Designar espaços para actividades privadas, actividades sociais e tarefas relacionadas com o trabalho.
  • Planear espaços partilhados que podem ser utilizados por várias pessoas ao mesmo tempo, em vez de salas reservadas apenas para funções específicas.
  • Facilitar o acesso a áreas comuns, tais como cozinhas e casas de banho. O espaço coliving ideal permitiria aos residentes deslocarem-se livremente entre o seu espaço pessoal e as áreas comuns sem terem de passar pelo exterior ou por outros edifícios do complexo.
  • Criar oportunidades de luz natural em áreas públicas para que estes lugares sejam mais acolhedores do que caves escuras ou corredores sombrios.
  • Criar espaços comuns que promovam a igualdade entre os indivíduos na comunidade.

 

Para o fazer, terá de pensar em como as pessoas irão comer, trabalhar e interagir no espaço. 

Por exemplo, algumas comunidades de colliving têm uma grande mesa de cozinha onde os residentes podem sentar-se juntos para o pequeno-almoço ou jantar; outras têm salas designadas para residentes que trabalham juntos em projectos.

 

As diferenças entre um espaço coliving e os complexos habitacionais tradicionais


Os espaços coliving não são os mesmos que os complexos residenciais tradicionais. 

A diferença reside na finalidade de cada espaço.

Os espaços coliving são concebidos para facilitar as interacções entre os residentes, enquanto que os complexos habitacionais tradicionais estão mais preocupados em proporcionar um espaço seguro e confortável para as pessoas que têm as suas próprias necessidades de privacidade.

 

É tudo uma questão de comunidade


Então, como é que fazemos com que o coliving funcione para nós?

  • Antes de mais nada, saiba quais são os seus valores. Deve estar ciente do tipo de comunidade em que quer viver antes de se mudar para um espaço coliving. Por exemplo, se quiser partilhar interesses comuns com outras pessoas e fazer parte de uma comunidade que encoraja o crescimento e desenvolvimento de cada um de vós como indivíduo, pode não ser para vós, mas se é isto que mais vos atrai, é para vós.
  • Em segundo lugar, escolha cuidadosamente os seus parceiros. Para que todos se sintam seguros e confortáveis em partilhar a sua casa com os outros diariamente, têm de confiar uns nos outros implicitamente; caso contrário, podem surgir rapidamente conflitos (que podem levar de novo ao ponto número 1). É também importante que todos tenham objectivos semelhantes quando se mudam para um coliving, uma vez que isto lhe permitirá passar algum tempo juntos e, ao mesmo tempo, manter algum sentido de privacidade, uma vez que existe compreensão.

 

Conclusão


Coliving é um modo de vida que não é para todos, mas que é totalmente válido na sociedade de hoje e em quase todo o mundo. É por isso que as novas construções e tecnologias estão adaptadas a este modo de vida cada vez mais presente na sociedade.